O 'ser' pai

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Marcela Munhoz

Pai, que figura! Figura no esplendor de todo o seu significado. Ser que protege, aconselha, ensina e mima. Pai que cria, que vive para prover. Pai que morre pelos seus, se assim for preciso. Que, às vezes, mesmo de longe, acompanha o crescimento dos filhos, torce pela evolução dos netos. Pai que não consegue dizer que ama, mas ama incondicionalmente. Pai que declara seu amor todo dia, mesmo sem ouvir tantas vezes quanto gostaria. Que maravilha ter um pai, mesmo que o encontro nunca seja possível, que o convívio seja por pouco tempo, que o conheça depois que tiver nascido, que no fim da vida ele vista o papel de filho. Ainda que frágil, com medo e entregue ao destino, o pai de verdade será para sempre pai. Que sorte a nossa, filhos, de termos as mãos fortes de figura tão majestosa esperando para nos segurar todas as vezes que caímos, as apoiando em nossos ombros enquanto caminhamos.

O pai de Ícaro Silva, ator nascido em São Bernardo e que passou infância e adolescência na periferia de Diadema, foi figura importante em sua criação. Era ele quem levava livros ao garoto. “Me ensinou também os princípios éticos”, conta o ator, que faz questão de agradecer a mãe, sua grande companheira. “Ela foi quem alimentou meus sonhos”. Munido de esperança por um futuro melhor, o artista admite que sonha, um dia, ser pai. O test drive está sendo com seu afilhado, Antônio. “Estou tentando torná-lo cidadão potente, generoso, com possibilidade de transformar. As crianças são o futuro.”

O tema pai também está na coluna MãeTernidade. Gabriel Santos, 32, conta nas redes sociais como está sendo a experiência de cuidar do filho Davi, 3. “Nem o pai nem a mãe estão preparados para o que está por vir”, diz o analista de sistemas, que discute a questão da paternidade ativa. “Tem de ser o protagonista, não o coadjuvante”. Honrar pai e mãe é um dos mandamentos, mas tem filho que vai além e transforma a própria vida para confortar seus ‘velhinhos’. É o caso de Ângela Cibiac, 64, que se dedica interamente para cuidar da mãe, Dona Carminha, 90, após AVC. “Pode parecer piegas, mas só um grande amor nos faz querer continuar lutando, mesmo que algumas batalhas sejam inglórias.”

Ainda nesta edição, você saberá um pouco mais da história de Denise Auricchio, primeira-dama de São Caetano, sentirá vontade de pensar melhor na alimentação depois de ler o Papo de Cozinha sobre ecogastronomia e entenderá o motivo de estar todo mundo falando sobre Pabllo Vittar. Em Tudo Imóvel, veja como os condomínios estão lidando com a demanda por espaços em comum para os cachorros e na coluna Pet é Pauta abordamos um dos temas mais difíceis para quem ama os animais de estimação: a hora da morte.

A revista Dia-a-Dia de agosto é uma homenagem singela para todos os pais, incluindo o meu, que acaba de se despedir deste mundo. Gratidão eterna a esses ‘seres’ que fazem a vida valer muito a pena.

 

Marcela Munhoz

Quer falar comigo? Ligue 4435-8364

 



Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados